RELATÓRIO E CONTAS 2016

Gestores

03 Nuno Alves

QUE BALANÇO FAZ DE 2016? QUAIS FORAM OS MAIORES DESAFIOS?

2016 foi um ano globalmente positivo para a EDP. O ano foi, durante a sua primeira metade, extremamente húmido e ventoso na Península Ibérica o que permitiu uma maior utilização das nossas centrais hídricas, bem como, a obtenção de mais valias na gestão da energia resultante da maior volatilidade do preço durante esse período. Em sentido contrário, a recessão brasileira e a desvalorização média do Real contra o Euro prejudicaram o consumo e os resultados apropriados da nossa atividade no Brasil. A consolidação do negócio da empresa permite encarar o futuro com optimismo e, como tal, a proposta aos acionistas de incremento do dividendo relativo a 2016 para €0.19 por ação.

A empresa entregou todos os compromissos que se havia proposto. A execução do plano de investimento hídrico, quer em Portugal quer no Brasil, bem como, a instalação de novos parques eólicos cumpriu com elevado rigor o orçamentado. A empresa surpreendeu, novamente, o mercado com as transações de “asset rotation”, cristalizando valor e criando espaço no Balanço para continuar a crescer. Não menos relevante foi a capacidade de securitização de deficit tarifário num montante superior a €2 mil milhões que, aliado ao cash-flow, gerado permitiu nova redução da divida liquida para menos de €16 mil milhões.

QUE FACTOS SE DESTACAM NAS DIFERENTES ÁREAS DE QUE É RESPONSÁVEL?

Enquanto responsável pela área financeira do Grupo EDP destaco como factos mais relevantes durante 2016, a securitização do deficit tarifário, e as emissões de divida a longo prazo a taxas historicamente baixas que, conjugadas com a recompra de parte da divida mais cara existente, irá permitir uma redução dos encargos financeiros da EDP nos próximos anos. Em maio de 2016, a EDP organizou o seu “Capital Markets Day” onde apresentou ao mercado os seus objetivos até 2020. Na sua relação com o mercado, a EDP voltou a recolher inúmeros prémios da comunidade de investidores que reconhecem o esforço, qualidade e transparência da informação financeira prestada, que muito nos orgulha.

QUAIS SÃO AS PRIORIDADES PARA 2017 DAS SUAS ÁREAS?

Para 2017, continuaremos dentro do possível a alongar o perfil da divida, aproveitando as condições favoráveis ao nível da taxa de juro de longo prazo, contribuindo para uma continuada melhoria dos custos financeiros da empresa. A EDP continuará a desenvolver politicas que permitam o crescimento sustentável do dividendo a pagar aos seus acionistas, bem como, a redução da divida que permita melhorar os seus rácios financeiros e, consequentemente, o seu rating.

© EDP 2017